Universidade em SC cria sorvete que ameniza os efeitos da quimioterapia

Na infância, muitas vezes o sorvete é utilizado como prêmio para quando a criança se comporta bem em uma consulta médica ou no dentista, por exemplo. Tal premissa compensatória faz sentido: um sorvete é algo tão delicioso que é capaz de convencer a mais arredia das crianças a colaborar em um exame ou procedimento.

Pois pesquisadores da Universidade de Santa Catarina decidiram se valer dessa prerrogativa para ir além da mera compensação – e desenvolveram um sorvete que ameniza os efeitos colaterais em pacientes durante as sessões de quimioterapia.

A ideia é que o sorvete aja especialmente contra alguns efeitos específicos, como as náuseas, perda de apetite e as feridas que comumente aparecem na boca do paciente e dificultam ainda mais o processo de alimentação. O sorvete vem nos sabores chocolate, morango e limão, e funciona como um complemento alimentar. A receita traz, além de frutas, outros ingredientes singulares, como azeite de oliva, gordura de alto valor nutricional, e proteína.

O alimento foi testado durante um ano no Hospital Universitário da UFSC, com resultados bastante positivos.

A equipe responsável pelo desenvolvimento do sorvete

O sabor facilita a ingestão com as náuseas, o gelado ameniza as feridas bucais, e os ingredientes oferecem justamente os nutrientes que os pacientes tanto precisam, fazendo com que o sorvete funcione de fato como um suplemento alimentar.

Para além, no entanto, do efeito medicinal que a novidade traz, há um complemento emocional importante: tudo fica melhor com um sorvete delicioso.


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado

Adaptação por Solitary, da matéria originalmente criada por Hypeness

Conheça Presley, o Scooby-Doo da vida real e que tem medo de tudo
25 fotos engraçadas de cachorros implorando por comida em que você não consegue dizer não
Cadela trapaceira foge de casa e finge ser abandonada para conseguir hambúrgueres
Dono abandona Lulu da Pomerânia de cinco meses por ser ‘muito grande’, e se arrepende amargamente