Leão com câncer em estágio terminal se despede de sua cuidadora: ‘É como uma mãe pra ele’

Há cerca de três anos, Júpiter, um leão que passou a vida sendo uma atração de circo, sujeito aos mais diferentes tipos de maus-tratos, foi resgatado pela cuidadora Ana Julia Torres, que o levou para o Refúgio Villa Lorena, na Colômbia, onde ele poderia viver seus últimos anos com mais conforto e segurança.

O felino não tinha garras e desconfiava tanto dos seres humanos que acabou desenvolvendo uma fobia em relação ao contato com eles, que mudou radicalmente quando ele chegou aos cuidados de Ana Julia.

A cuidadora mudou a vida de Júpiter: ele deixou de ficar sempre na defensiva e passou a se permitir ter mais contato com os voluntários do abrigo, demonstrando uma surpreendente capacidade de afeto e empatia com a equipe de resgate do local.

Leia também: Paciente com síndrome de Down internado por 37 dias, é curado da Covid: ‘Ele é um vencedor’

No entanto, as autoridades colombianas decidiram que o Refúgio não era o lugar mais adequado para Júpiter. Ele precisaria ser transferido para o zoológico de Los Caimanes, em Montería, Córdoba, para que ele tivesse mais espaço para se deslocar e mais contato com outros animais da sua espécie.

Infelizmente, a decisão não foi a melhor para o grande leão. Depois de quase dois anos sob a tutela do zoológico, Júpiter perdeu tudo o que havia progredido e sua saúde começou a se deteriorar pouco a pouco: agora ele está em estado crítico há mais de um mês, come pouco, tem danos significativos nos rins e fígado, além de anemia.

Segundo Ana Julia, que o visitou várias vezes, Júpiter “está morrendo”. Para tentar recuperar sua guarda, ela entrou com um processo na Justiça na esperança de levá-lo de volta ao seu santuário.

Em meio à saúde deteriorada, o leão ainda tem demonstrado com pequenos gestos que ele ainda quer – e muito! – viver. Recentemente, Ana Julia o visitou em seu habitat e Júpiter, feliz da vida com a visita, a abraçou e a beijou com ternura.

“Estou feliz, depois de 11 meses recebi seus beijos novamente, ele me beijou cinco vezes. Eu o encontrei em pé, divino; Comecei a acariciá-lo e a mimá-lo, disse que o amava”, contou a cuidadora.

Apesar de todos os esforços de Ana, o diagnóstico de Júpiter, que tem 20 anos, é preocupante: ele está sofrendo de câncer de fígado terminal e em breve, irá partir desta para outra. Enquanto esse tempo não chega, o felino terá todo o amor e carinho daquela mulher que ele tem como uma mãe.

Leia também: Criança que teve que amputar as pernas junta R$ 3 milhões para hospital que salvou sua vida

Matéria escrita por Gabriel Pietro em exclusividade para o Solitary Δ.. Siga-me no Instagram clicando aqui.

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

Essas são as 15 raças de gatos mais populares e suas respectivas origens
Fotógrafo captura como são os olhos de alguns dos animais mais distintos da Terra (25 fotos)
Internautas criam grupo para compartilhar as melhores fotos de doguinhos que encontram na rua
Cachorrinho de rua deita em varanda de família para descansar e acaba sendo resgatado