Fosfina estabelece novo paradigma para indicar vida em outros planetas.

A pesquisadora Clara Sousa-Silva, do Departamento de Ciências da Terra do MIT, afirma que há outras moléculas raras que poderiam produzir vida, dando como exemplo a fosfina.

Em pesquisa juntamente com uma equipe de cientistas, foi descoberto que somente uma forma de vida poderia converter o fósforo em fosfina.

Para afirmar que, de fato, esse gás só seria produzido por seres vivos, um longo estudo foi realizado pelos cientistas. Eles passaram os últimos anos testando diferentes espécies de fósforo, composto essencial da fosfina. A conclusão é de que apenas uma forma de vida poderia ser responsável pela presença do elemento na atmosfera de um planeta. E por menor que fosse a quantidade, essa seria uma bioassinatura, que confirmaria a presença de vida fora da Terra.

Leia também: 

Até então, apenas oxigênio, hidrogênio, ozônio, metano e óxido nitroso identificariam se há vida em outros planetas. Esses gases se acumulam na superfície e são chamados de biomarcadores ou marcadores biológicos.

Com a fosfina, estaríamos pensando além de seres vivos que produzem oxigênio e estabelecendo um novo paradigma na identificação de vida em outros planetas.

Leia também:


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!

Nina, a cadela pinscher fofoqueira que olha a vizinhança através de um cano
Novo vírus da gripe com ‘potencial pandêmico’ é encontrado na China
Leão com câncer em estágio terminal se despede de sua cuidadora: ‘É como uma mãe pra ele’
Sem turistas para incomodar, onça se acostuma a ‘desfilar’ por passarela no Pantanal