“Eu pensei seriamente em matar o Rony”, revela autora de Harry Potter

Uma das escritoras mais famosas do mundo, J. K. Rowling revelou ao site Pottermore (https://www.wizardingworld.com/) que pensou seriamente em matar Rony Weasley. O personagem ruivo e bondoso, considerado por muitos fãs o mais querido da série Harry Potter, seria eliminado em um episódio não especificado pela autora.

Segundo a própria Howling: “Na metade do caminho eu comecei a pensar que poderia dar fim a um deles. Eu considerei seriamente matar o Rony, mas, daí, perderia a ele definitivamente”.

Veja também:

A autora reflete que cogitou a morte de Rony em uma fase da vida em que não se encontrava feliz. Ela mudou de ideia ao se voltar à estrutura original da história, onde havia definido que nenhum dos jovens protagonistas morreria.

Abaixo, outras situações imaginadas por J. K. Howling, mas que não fizeram parte da saga Harry Potter.

Mafalda, a prima esquecida e desagradável da família Weasley, teria um protagonismo acentuado no quarto livro da coleção de sete volumes, onde seria a rival de Hermione. A autora, apesar de declarar que gostava muito de Mafalda, optou, no entanto, por Rita Skeeter.

Uma personagem que não chegou a entrar na história foi a irmã mais nova de Hermione. A explicação para a ausência é prosaica, J. K. Howling simplesmente se esqueceu de incluir a personagem nos primeiros livros. O relapso só foi percebido quando as obras já estavam impressas.

Quem perseguiu Harry Potter durante anos foi seu primo Duda Dursley. Como punição a ele, Howling pensou em “presentear” Duda com um filho bruxo no epílogo do último livro da série. A autora, no entanto, refletiu e se convenceu de que “alguns genes latentes de bruxas nunca sobreviveriam ao contato com o DNA do tio Valter”. Entre lacônica e irônica, a autora conclui: “Na vida adulta, Duda e Harry trocam cartões de Natal”.

Draco Malfoy teria um amigo um pouco mais inteligente do que ele, chamado Theodore Nott. A ideia do novo personagem não saiu do papel e Draco se viu acompanhado em suas estripulias de seus dois “fiéis escudeiros”: Crabble e Goyle.

A ideia de a saga Harry Potter ter entre seus principais personagens um bruxo cego com grandes habilidades de previsão do futuro esteve presente nos rascunhos anteriores a Pedra Filosofal. O nome seria Mopsus e remete à mitologia grega. Rowling se deu conta de que o poder de tal personagem diminuiria muito o enredo da história.

Assim, Mopsus foi esquecido nos rascunhos e em seu lugar entrou a professora Sybila Trelawney, com previsões que apenas quebravam um galho aqui e ali.

Desde os primeiros capítulos das aventuras de Harry Potter, Rowling imaginava um personagem vampiro no enredo que já tinha até nome: Professor Trocar. A autora desistiu da ideia, após constatar que não teria muito a acrescentar à tradição do mito do vampiro, já tão rico e explorado na literatura e em filmes.

Sempre é bom lembrar que na série havia dois personagens sobrenaturais: os professores Remus Lupin, um lobisomen; e o de adivinhação, que era um centauro.

Veja também: 


Gostou da matéria? Compartilhe. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!

Conheça Presley, o Scooby-Doo da vida real e que tem medo de tudo
25 fotos engraçadas de cachorros implorando por comida em que você não consegue dizer não
Cadela trapaceira foge de casa e finge ser abandonada para conseguir hambúrgueres
Dono abandona Lulu da Pomerânia de cinco meses por ser ‘muito grande’, e se arrepende amargamente