Descubra o motivo porque os asiáticos conseguem manter a juventude por mais tempo

No alto do noroeste da China existe uma terra cheia de riquezas.

É ali, nas margens do Rio Amarelo e à sombra das montanhas cobertas de névoas, que as pessoas da região de Ningxia cultivam um dos alimentos mais procurados da Ásia há séculos.

Uma pequena frutinha que tem sido chamada de “diamante vermelho”, pois acredita-se ter poderes antienvelhecimento, e ela funciona mesmo!

Leia Também: Conheça as curiosas portas da Índia: ‘Prezam muito pela segurança’

Ela já alcançou um status global recente como superalimento, mas para o povo da China, que a utiliza medicinalmente desde o Século III, é simplesmente chamado de goji berry ou wolfberry.

O goji berry é cultivado em toda a China, mas é a geologia única de Ningxia que criou a versão mais reverenciada da fruta. “É a combinação de brisa fresca da montanha, solo rico em minerais e videiras irrigadas pelo famoso Rio Amarelo que tornam as goji berry da região de Ningxia tão apreciadas”, disse Evan Guo, gerente de vendas da Ningxia Baishi Hengxing Food Technology Co, uma empresa orgânica de goji.

Os agricultores de Ningxia ainda colhem os frutos da mesma maneira que fizeram ao longo da história. De julho a setembro de cada ano, trabalhadores rurais vão colher a super frutinha.

As famílias asiáticas fazem isso há gerações, eles simplesmente jogam algumas goji berrys em suas sopas ou no chá e apreciam o sabor do superalimento doce semelhante a passas que mantém a aparência e a sensação da Ásia jovem.

Leia Também: Viajante retrata belíssima região dos Alpes durante o inverno


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!

Russo burla companhia aérea e embarca com gato gordinho que estava acima do peso: ‘Ele foi pego’
Pastor Alemão viaja de moto com seus pais: ‘Nós criamos um porta-cães na garupa’
As incríveis ‘bolhas’ transparentes dentro de selva da Tailândia onde você pode dormir
Coruja é resgatada porque estava gordinha demais para voar