7 excelentes filmes que você não vai querer rever

Com inúmeros filmes lançados frequentemente pela indústria cinematográfica, não é difícil encontrarmos um filme bom, daquele tipo que revemos várias vezes. Do mesmo jeito, existem péssimos filmes, alguns tão ruins que dormimos ou simplesmente tiramos da TV.

O pensamento de rever filmes ruins não é algo muito atrativo, entretanto, entre essas duas situações, existe uma terceira opção. Quando um filme conta com uma história emocionante, uma atuação fenomenal e técnica impecável e, mesmo assim você não o assistiria novamente. Depende muito do que ele te faz sentir. Talvez você fique muito triste ao vê-lo, talvez ele tenha cenas muito violentas ou perturbadoras demais para rever. Existem uma série de motivos que podem te levar a se sentir assim, pensando que uma vez já foi suficiente.

Aqui estão sete filmes que se encaixam na terceira categoria, talvez você já conheça algum, mas com toda certeza vai se interessar por pelo menos um deles, confira!

7 – A Estrada (2009)

“A Estrada” é uma adaptação fiel do livro de Cormac McCarthy e foi aclamado por seu um dos mais sombrios dentre os filmes pós-apocalípticos.

O filme retrata dois personagens, pai e filho e, apesar de viverem em um mundo sem esperanças, ambos procuram pelo mar, tentando encontrar um vislumbre de esperança. Além disso, o desempenho de Viggo Mortensen, nesse filme, é considerado um dos melhores de sua carreira.

A produção consegue demonstrar impecavelmente o cenário sombrio em que os personagens vivem. A paisagem acinzentada vai se tornando sufocante depois de um tempo, o que acaba favorecendo a angústia provocada por algumas cenas.

6 – Anticristo (2009)

Lars von Trier, assim como seus filmes (Melancolia, Ninfomaníaca e A Casa que Jack), gosta muito de fugir do convencional. Embora existam algumas obras do diretor que não sejam levadas a sério, esse não é o caso de Anticristo. Para falar a verdade, seguindo a ‘vibe’ de seus filmes sombrios, este longa-metragem feito em 2009 , já chegou a ser descrito como “o mais horrível de todos”. Os personagens aqui também não receberam nomes, assim como em A Estrada.

O filme retrata um casal fugindo para sua cabana na floresta, depois da morte de seu filho. Entretanto, assim que os dois chegam lá, as coisas começam a fugir do controle. O homem passa a ter visões assustadoras e a mulher vai, lentamente, perdendo sua sanidade mental. Não vamos contar muito para não perder a graça, mas a brutalidade sexual explícita na produção é uma das coisas mais desconfortáveis já mostradas no cinema.

5 – Túmulo dos Vaga-Lumes (1988)

Como uma das maiores empresas de animações de todos os tempos, o “Studio Ghibli” é uma empresa que, ao longo do tempo, conseguiu conquistar diversas pessoas, com suas produções. Com isso em mente, não foi surpreendente ficar animado após a Netflix confirmar que os 21 filmes do estúdio entrariam em seu catálogo.

Mas vamos ao que interessa, além de incríveis produções como Meu Amigo Totoro, Ponyo e Porco Rosso, a produtora também trabalhou com contos mais sombrios, como “A Viagem de Chihiro”.
Esse fato ocorre devido a busca por atender tanto o público infantil, quanto o adulto. Com isso, o filme “Túmulo dos Vaga-Lumes”, foi com certeza o mais maduro da história do Studio. Afinal, essa produção retrata uma guerra fúnebre.

Nele podemos ver Seita e sua irmã mais nova, Setsuko, que foram forçados a fugirem de seu lar durante a Segunda Guerra Mundial e passarem por difíceis situações, chegando até a morte de Seita. Em resumo, essa animação sai totalmente do padrão estabelecido pela Disney. Aqui, podemos ver momentos extremamente perturbadores e delicados.

4 – Precisamos Falar Sobre o Kevin (2011)

Embora conte com uma temática frequentemente utilizada pelo cinema estadunidense, Precisamos Falar Sobre o Kevin destoa dos outros títulos do grupo. Basicamente, essa produção narra a história do inteligente, manipulador e desequilibrado Kevin Khatchadourian. Após estabelecer o caos em seu núcleo familiar, voltados seus pais um contra o outro, Kevin comete uma grande atrocidade em sua escola. No entanto, o maior diferencial do filme está em mostrar o desenvolvimento de um psicopata de uma forma verdadeiramente assustadora. Além da incrível performance de Ezra Miller, como o protagonista, Tilda Swinton também entrega um de seus trabalhos mais brilhantes. Ao passo que o maior medo de um pai é ver o filho se tornando uma pessoa ruim, vemos esse temor ganhar forma nessa história tensa e horripilante. Aliás, embora o ato mais violento seja guardado para o final, o filme é cheio de momentos perturbadores.

Leia Também: Meteoritos sugerem que antigamente a Terra tinha uma atmosfera rica em dióxido de carbono

3 – Irreversível (2002)

Diante da vastidão de títulos produzidos pela indústria cinematográfica, não é incomum encontrarmos um filme tão bom, que nos leve a revê-lo diversas vezes. Ao mesmo tempo, existem produções tão ruins, que nos fazem acreditar que foi uma perda de tempo assisti-las. Logo, a ideia de revisitá-las é totalmente descartada. Contudo, em meio a esses dois casos, existe uma terceira situação um pouco mais rara. Estamos falando de quando um filme conta com uma história emocionante, atuação fenomenal e técnica impecável e mesmo assim você não o assistiria novamente. Tudo depende da sensação que ele te proporciona. Talvez seja triste, violento ou perturbador demais. Existe uma série de motivos que podem te levar a se sentir assim, a pensar que uma vez já foi suficiente.

Pensando nisso, selecionamos alguns filmes que se encaixam nessa categoria. Existe a probabilidade de você já conhecer alguns e até se interessar em conferir outros. Contudo, em ambos os casos, garantimos que você não irá assisti-los uma segunda vez.

2 – Vá e Veja (1985)

 

Existem muitas produções que abordaram a Segunda Guerra Mundial nos cinemas, mas nenhum delas pode se comparar ao incrivelmente sombrio filme russo intitulado, “Vá e Veja”.

Nele podemos ver a história de Flyora, que se junta às forças soviéticas para combater o exército alemão invasor. O personagem passa por eventos traumatizantes e, como resultado de um amadurecimento compulsório, que deixa marcas físicas e emocionais, no final do longa, o protagonista parece mais um idoso do que um garoto.

1 – Threads (1984)

O filme que foi produzido pela BBC, durante a época de tensão da Guerra fria, e pode realmente levar o troféu do ‘longa mais perturbador já feito’.

Nele acompanhamos a história das famílias que viram suas vidas e o mundo serem devastados por uma guerra nuclear entre Rússia e Estados Unidos. Embora esse assunto seja frequentemente abordado, ninguém o fez como Threads. Para mostrar o nível das cenas do filme, podemos citar um gato se contorcendo por causa da radiação térmica, um homem batendo furiosamente em sua esposa em chamas e os resquícios cruéis do pós-guerra. Considerando que uma guerra nuclear esteja entre as possibilidades mais assustadoras da atualidade, esse filme dá arrepios.

Leia Também: Destruição de planetas anões no passado pode ter criado os Anéis de Saturno


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!

Russo burla companhia aérea e embarca com gato gordinho que estava acima do peso: ‘Ele foi pego’
Pastor Alemão viaja de moto com seus pais: ‘Nós criamos um porta-cães na garupa’
As incríveis ‘bolhas’ transparentes dentro de selva da Tailândia onde você pode dormir
Coruja é resgatada porque estava gordinha demais para voar